Postagens






Olá pessoal! 


Minha primeira vez aqui, então vou me apresentar: 

Meu nome é Alan Keuce, tenho 26 anos, formado em Psicologia e cristão desde 2006. Conheci o mundo dos animês ainda criança, vendo os desenhos que passavam na tv; ao me tornar cristão, as coisas foram se juntando na minha cabeça, e comecei a refletir sobre os animês com a minha perspectiva da existência, ou seja, o cristianismo. Criei o blog “Ideias que Voam”* em 2016, e agora estou aqui, no Otaku Cristão.

Bom, após essa introdução, vamos ao que interessa. Para esse meu primeiro post, resolvi falar sobre um animê que tem chamado muita atenção esse ano, que é o “Kimetsu No Yaiba”, em inglês, Demon Slayer (Caçador de demônio). 

--- 
Para aqueles que não lembram/conhecem, aí vai uma pequena sinopse: 

Depois de ter sua família massacrada por um demônio (Oni), Tanjiro, o filho mais velho, sai em busca de uma cura para sua única irmã sobrevivente do massacre, Nezuko, que acabou sendo transformada em um Oni. Os Onis são criaturas que, via de regra, atacam e comem humanos, tendo superforça, regeneração e, em alguns casos, outras habilidades especiais/sobrenaturais. Nessa busca, Tanjiro se torna um caçador de demônios e viaja juntamente com sua irmã, atendendo chamados para matar onis maus e procurando meios para reverter o que aconteceu com sua irmã. 
--- 

Kimetsu no Yaiba apresenta um contexto de muita morte, por causa dos Onis e toda a destruição que causam. Apesar disso, o animê também traz a ideia oposta, a da restauração, da Esperança, e é sobre essa antítese que gostaria de refletir com vocês aqui. 


1. A Esperança de Tanjiro 
Tanjiro protegendo Nezuko 

Tanjiro tinha acabado de viver uma experiência horrível e traumática. Ele perdeu toda a sua família, e não de qualquer forma: exceto sua irmã, todos foram brutalmente mortos de devorados por um Oni. No lugar dele, muitas pessoas entrariam em colapso, cairiam no desespero e perderiam a razão de viver. 

Porém, Tanjiro decidiu não se apegar à morte que manchava a sua família. Ele olhou para a sua irmã, a vida que restou, e resolveu que, por ela, ele tinha motivos para continuar existindo. 

É o velho dilema de olhar para o copo com água e decidir se ele está meio cheio ou meio vazio. A tendência é que apenas nos deixemos levar pelas emoções, que elas tomem conta, e isso seria o agir genuíno, seria quem nós realmente somos. Eu digo que não! 

Diante de toda a morte, ainda podemos decidir olhar para a vida que resiste; diante dos sinais de que nada dará certo, ainda podemos olhar e ver a luz no fim do túnel, a esperança que reside no simples fato de que ainda estamos vivos! 

Jesus nos diz que “no mundo tereis aflições”, e isso é bem fácil de perceber. Mas ele também deu uma palavra de Esperança que se baseia n’Ele: “Tenham bom ânimo, porque eu venci o mundo.” Jo. 16.33 


2. Nezuko, Tamayo e Yushiro como sinais da restauração
Nezuko, irmã de Tanjiro 



Yushiro e Tamayo 

Nezuko tornou-se logo no início da história um Oni; Tamayo e Yushiro apareceram mais pra frente na história, também como Onis. Todos eles, por serem Onis, são, teoricamente, demônios supostos a devorar humanos e não se importar mais com os amigos e família que antes tinham. Assim foi com todos os outros que apareceram na história, mas não com eles. 

Esses três personagens surgem na história de Kimetsu no Yaiba para mostrar que a Esperança de Tanjiro não é sem sentido, mas tem um fundamento palpável: a existência de Onis que não se entregam ao seu lado selvagem e não se alimentam de humanos. 

Enquanto a suspeita seja de que Nezuko substitui a energia que viria dos humanos por meio de seus longos períodos de sono, Tamayo e Yushiro se alimentam de sangue humano coletado por meios não violentos. Isso nos leva a pensar que, nas batalhas contra nosso “lado mal”, cada um tem suas particularidades, e as estratégias de um podem não servir para outro. Sendo assim, a questão é se estamos ou não dispostos a enfrentar essa batalha diariamente. 

O pecado muitas vezes desperta desejos quase incontroláveis de fazer o errado aos olhos de Deus; porém, devemos decidir a que vale a pena se dedicar, a que vale a pena se entregar e pelo que viver: se por Deus ou por nossos próprios desejos. 

Outro sinal de restauração que vejo nesses exemplos é que cada um não apenas se esforça para controlar a si mesmo, mas decidiram, cada um ao seu modo, se dedicar na batalha contra o mal num âmbito coletivo: Nezuko luta junto de seu irmão contra Onis maus; Tamayo, auxiliada por Yushiro, é médica para todos os que precisarem, tanto humanos quanto Onis decentes. O próprio Yushiro já é fruto dos cuidados de Tamayo, que o salvou da morte e tem cuidado dele desde então. 

“[...] o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar” Gn 4:7 



3. A sabedoria do mestre Sakonji Urokodaki 

Mestre Sakonji 

Urokodaki Sakonji foi o responsável por treinar Tanjiro. Ele é um caçador respeitado, um mestre com uma quantidade razoável de alunos que já passaram por suas mãos. Sendo assim, seria de se esperar que ao ver toda a destruição causada por Onis, ele entendesse, justificadamente, que todos eles merecem morrer, que são apenas uma praga no mundo, sendo que o dever dos caçadores seria exterminar essa praga. 

Porém(!), sua experiência como caçador o fez ver mais do que apenas destruição. O animê não mostrou ainda detalhes sobre o passado do mestre, mas o que ele mostrou foi a compreensão dele sobre a situação de Tanjiro e Nezuko, e como ele tratou com humanidade aquela que teoricamente ele deveria tratar como um monstro. Ele não apenas os acolheu, mas considerou-os como parte de sua família

Mestre Sakonji abraçando Tanjiro e Nezuko 

Essa atitude de Sakonji me lembra a do próprio Jesus. Ele é superior; ele sabe o quão má, perversa e destruidora é a humanidade; Ele tem poder para acabar com a humanidade e “limpar” a terra de nós. Nós somos os Onis

Porém(!), Ele decidiu nos amar, nos compreender, e mostrar o que significa a “verdadeira Humanidade”, que Ele mesmo criou, e que nós transformamos em monstros, deformados pelo pecado. 

Por essa razão, o próprio Deus decide se entregar na cruz, para nos salvar e dar o exemplo; ser o mestre e nos “treinar”, para que, restaurados, não sejamos caçadores, mas sim propagadores dessa salvação aos que ainda não vivem a verdadeira humanidade, pois só Ele a pode dar. Dessa forma, mais que o Tanjiro, Deus não apenas nos considera, mas sim nos torna seus próprios filhos! 

“[...] Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância.” João 10:10 

-- 

Então, não se esqueçam, amigos, que apesar de toda maldade que existe no mundo, há um salvador, Jesus, que veio para nos transformar e ao mundo por meio de nós. Diante disso, está sobre nós essa responsabilidade de decidir ser Onis ou Humanos, de deixa-nos levar pelos impulsos do Pecado ou de entregar-nos à restauração oferecida por Cristo pela sua Cruz. 

Fiquem na Paz!


*(Blog Ideias que Voam - www.ideiasquevoam.com.br; está parado por tempo indeterminado, mas ainda está no ar com as postagens antigas sobre animes, séries e poemas).
-- 

por Alan Keuce 

"Seja alguém de quem o mundo não é digno"(paráfrase Hb.11.38) 


4 comentários:

Deixe o seu comentário :D

Bottom Ad [Post Page]